domingo, 20 de dezembro de 2015

Nuances


D i v e r s i d a d e
A biológica, a ideológica.  
a étnica, a estética, a ética, a política, 
A religiosa,
a territorial, a sexual, a moral, a cultural, a regional, 
Tudo sendo, 
Onde está o que há de comum?
Tolerância há de haver.
Escuta. Opinião. Escuta.
Dos privilégios que já percebi na vida, um dos  que prezo é o diferente.
O diferente me plange. me desconforta, me angústia, me resulta,
em olhar o que fui e impotente sou em voltar.
Sei que preciso ser mais, ousar mais em me propor mais.
É preciso se desconstruir, desconfortar, inquietar, deixar ser.
Todos querem paz, justiça, amor, igualdade. Então retiro as cascas que separam, 
e fico com as fibras que em rede interligam firme.
Faz falta ver o igual, fez falta estar com iguais, mas acrescenta estar só.
Estar só faz enxergar melhor, e aprendi cedo e sou grata por isso, estar só não significa solidão e na brincadeira de ser só já fiz grandes amigos.
Em mim há uma inquietação desde que me identifiquei com Cristo e com a causa e missão dele.
Há aproximadamente 17 anos é assim. Quero mudar o mundo. Quero tudo, abraçado.
Sonho com um número cada vez maior de discípulos do Cristo que causa inquietação.
Sonho com inconformados que transformam o mundo com e pelo renovar da mente.
Que subvertem muros, os próprios e os que a sociedade constrói, ao mesmo tempo. Por que não há tempo para listas e filas, estamos com pressa. Este sonho tem de ser realizado. Mas é preciso mais gente nele.
É preciso ser. Ser Cristo.
Por fim,
2015 me proporcionou pela primeira vez dois encontros de juventude nacionais repletos de diversidades
O primeiro pela Juventude Batista Brasileira nomeado de Despertar com o tema "Vamos Iluminar a cidade", e o segundo
pela Secretaria Nacional da Juventude com o tema "As várias formas de mudar o Brasil", ambos incríveis!
O "Despertar", de "Formas para mudar o Brasil"... é urgente!
Que haja unidade, compromisso e participação para este fim com toda a diversidade da juventude brasileira, com o intuito não de adquirir apenas a causa própria, mas acima de tudo o bem comum, o elo que une. 
Iluminar pela salvação, pela liberdade da opressão social, dos preconceitos, discriminação, intolerância, violações de diversas maneiras dos direitos humanos. Iluminar pelo hoje, em prol de um futuro aqui e do Reino que veio e se consumará. Sejamos luz, sinalizando este Reino, eis a minha missão. 
Desejo o que Cristo deseja, para o hoje e para sempre.

Assim, abraço diferente, despeço-me com um Deus te abençoe, um sorriso no rosto e um até logo.
Encontros são assim, 
Simbiose.

Materiame.



"...Vocês são sal da terra e luz do mundo, são as cores de Deus no mundo..."
(Mateus 5:14)

quinta-feira, 23 de abril de 2015

20 minutos.


Peguei o ônibus com meu cello, destino certo... Com o pensamento viajante, passeava pelos compromissos da semana...
Músicas para treinar do louvor do próximo fim de semana - ok
Canto uma música, lembro outra... desligo e viajo nos planos e objetivos do ano
Academia, Circo, Dança... Sou pouco para tanto... Quero abraçar o mundo, quem dera pudesse.
De pé cuidando do instrumento que zelo para não cair na condução lotada, percebo que duas pessoas perto de mim se afastam...
Olho para frente e me assusto com o que vejo.
Sujo, fétido, calado.
Inicia-se um turbilhão de reações internas que foram reforçadas pela vida, vejo ao longe uma criança se escondendo nas pernas e braços da mãe... Medo.
Enquanto isso eu comigo permaneço no mesmo lugar e luto contra o condicionamento de repulsa que meu corpo e meus sentidos ansiavam sedentos em exteriorizar. Mas que minha mente e minhas emoções mais racionais buscavam por subversão, meus olhos queriam o humano e para além disso queria os humanos todos a volta.
Continuo sem nada fazer, permaneço no mesmo lugar e vejo muitos olhares de negação ao que estava na minha frente... enquanto faço o panorama a minha volta... meu olhos param nos olhos dele. Chuto 17 anos, possível transtorno mental, babando restos de comida aparentemente azeda, inchaços nas mãos, pés e rosto, meu coração bate e meu estômago comprime... meu entendimento dói. Sinto repulsa de mim.
Inicia-se uma tormenta, me culpo, me questiono e me nego a sentir contra a minha vontade consciente o que sentia, oro por ele, para que não perceba os olhares das pessoas e os meus. Passam-se 20 minutos desde que entrei no ônibus, chegou a hora de descer... olhando para o lugar onde pretendia saltar, percebo estar sendo observada e por dentro orava antes por ele e agora por mim... súplicas para ser mais humana, menos egoísta e despida de preconceitos e limitações, estigmas sociais.
Aperto o pare, ando em direção a porta arrasada por tudo que senti e pensei, me questionando a respeito de que tipo de humana, cristã e psicóloga sou e serei sendo assim... 
Desço e antes que as portas se fechem olho para trás... E recebo um aceno e o olhar mais humano e sincero que já recebi na vida.
Me perguntei se meus pensamentos foram ouvidos, constatei que sim... Dou um sorriso e retribuo o aceno agradecida pelo cuidado... Deles.




terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Não fuja.




“Meu Deus do céu o barulho é ensurdecedor. Por que o mundo não tá ouvindo isso?, eu me pergunto. Repito a pergunta várias vezes. Porque o mundo não tá nem aí, respondo finalmente, e sei que estou certo...
É como se eu tivesse sido escolhido. Mas escolhido pra que?, pergunto. 
A resposta é bem simples: Pra se importar e cuidar.” ¹ 

 Fechar os olhos, virar o rosto, distrair os pensamentos, mudar de assunto, trocar de canal, fechar a aba da página, rolar o mouse mais rápido, desligar a Tv, trocar a estação, mudar o caminho, atravessar a rua, tapar o nariz, os ouvidos, a voz e ser omisso.
Já dizia Bonhoeffer que "retardar ou deixar de tomar decisões pode ser mais pecaminoso que tomar decisões erradas por fé e amor." ²
Fico a pensar sobre a omissão nesse mundo bagunçado em que vivemos, e como diriam os cariocas, o mundo "tá zuado pra caraca". Me entristeço, minha'lma se abate como a do salmista... profunda e furiosamente. 
A banalização da essência tem nos levado a morte todos os dias, não somente do corpo. Digo da morte de sonhos, projetos, sentimentos, princípios, valores, sentidos e significados também... que são todos atropelados ferozmente antes de tocar o corpo. Dói mais, pois se está vivo.
Há um anseio enraizando nas veias (des)humanas que correm e escorrem sanguinárias, em busca de completude e não encontram. Anseio este, do favor próprio, amor prórpio, que emburrece. É o cuspir para o alto e cair na própria face, o guardar no bolso furado, o encher um jarro trincado, vazado. O investir em uma causa falida.
As causas próprias são falidas. Nelas tudo é vazio ou passageiro. Sem o outro de nada vale... Diria o poeta: "Tudo é vaidade". ³
Manoel de Barros nos convoca, dialogando com Jesus que "precisamos ser outros".⁴
Não na cobiça, inveja que tenta-nos a ter o outro e o que é do outro. Mas o coomprender, que diferente de entender, põe-se no lugar...caminhamos para uma sociedade cada vez mais selvagem e canibalesca. Se faz alarmantemente necessário praticar o amor, que é materiamar, que ao meu ver poderia virar um verbo. Pronto, voto em uma nova palavra, deste que a mesma só seja usada, quando a prática desta estiver evidentemente provada... Que o amor na prática, se chame mateiramar (Matéria + Amor  = Materialismo do amor)
Mas como? Como não deviar os olhos nem o rosto? Como não distrair a mente e pensamentos? como não trocar de canal, não sair da sala, não mudar de assunto? Não mudar a rota, mas traçar um roteiro. Não tapar os ouvidos, nariz e voz, mas ampliá-los e cavar mais fundo. Não se calar, mas falar e agir. Materiamar.
Ah os começos... Eles são curativos, e sempre há um. Existe um exercício simples de perceber e fácil de executar: Se entendermos que toda reação procede  de uma ação, conhecer primeiramente nossas atitudes/ações cooperariam para mudar nossas reações. Então, para mudar o modo de reagir, é preciso mudar como agimos. Mudaríamos pequenos hábitos, como fechar a torneira enquanto escovamos os dentes, limpar a casa, o quintal, o carro, bike e outras coisas... Ah seja criativo! reaproveitaríamos a água de enxágue da máquina de lavar roupa, pouparíamos água e luz. Apagaríamos a luz quando sair, aproveitaríamos mais o escuro (...pense o que quiser desde que gere prazer para mais alguém além de você e não tormenta.). Não largaríamos comida no prato, pegaríamos o suficiente. Não julgaríamos o que pede, daríamos simplesmente. Falaríamos menos, bem menos e ouviríamos mais. Dominaríamos nossos julgamentos e aliviaríamos a dor do outro.
Abnegação, compaixão, paz, solidariedade, amizade são palavras que estão sem gente dentro. Assim como o amor.
Infelizmente já sabíamos de tudo isso, mas temos sempre que resmungar que aprendemos é com os nossos erros, então ficamos esperando que uma crise venha para que nossos hábitos sejam mudados.
Pois bem, ela chegou.
Materiame. Existem aqueles que já entenderam.

Imago Dei.


¹ Markus, ZUSAK, Eu sou o Mensageiro, p.62.
² Eric, TEXAS, Bonhoeffer: Pastor, Mártir, Profeta, Espião, p. 236
³ Manoel,BARROS, Retrato do Artista Quando Coisa.

BÍBLIA. Eclesiastes 1:2.




Não vive sem...

DEUS...
AmA...sua FAMÍLIA, Amigos novos e ANTIGOS...Fazer AMIGOS, Fotografia, MÚSICA, Culturas, VIAJAR, Observar, INOVAR, Ouvir, LER, Refletir, ARTE, CRIATIVIDADE, Surpresa, APRECIAR, lembrar e relembrar, SENTIR, Cativar, CANTAR, contar/ouvir uma NOVIDADE, Cultivar, Saborear, SORRIR, bom CHEIRO bom, GARGALHADA, Curtir a VIDA e as PESSOAS...VIVER!