Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2014

Manoel de Barros

Imagem
Foto do site:http://lounge.obviousmag.org/humano_demasiado_humano/2013/06/a-embriaguez-do-perfume-das-palavras-de-manoel-do-barros.html


Ontem choveu furiosamente, em uma terra onde o sol arde... Hoje o dia está um tanto tímido...Ora o sol flerta entre as nuvens, ora as nuvens flertam com o sol. Ontem desci a ladeira de paralelepípedos... pensativa... Transpira poesia. E no porto que a mesma leva... Um céu de nuvens detalhadamente desenhadas em cores e densidade... Descontextualizado com a terra de céu aberto e sol forte. Hoje amanhece um vento fresco, frio para o corumbaense... e esse vento bate... E hoje, esse vento traz a saudade que virá de um poeta, que me abriu os ouvidos para o silêncio e os olhos para o miúdo. Sensibilidade e singeleza e sutileza Manoel de Barros, o poeta pantaneiro... se foi. Silêncio para honrá-lo e uma vida repleta de insignificâncias... é o que levo.

"A poesia está guardada nas palavras – é tudo que eu sei. Meu fado é o de não saber quase tudo. Sobre o n…