terça-feira, 31 de maio de 2011

Teias...


Certo dia, passei por essa obra-prima acima, e me encantei...
Já destruí muitas dessas, mas naquele dia pela primeira vez enxerguei beleza nelas.
Sem o conhecimento de tal delicadeza e resistência que a mesma têm, fotografei por  reconhecimento ao artista.
Hoje, revendo fotos, me deparei novamente com esta... A curiosidade me levou a fazer uma breve pesquisa, veja o que aprendi:

"A teia é mais fina que um  fio  de 
cabelo, mais leve que o algodão, e  (nas mesmas 
dimensões)  mais  forte que o aço, a teia 
”atormenta” os cientistas que tentam copiar  suas 
propriedades..."

Me levou a pensar...
Será que tenho sido uma "tormenta" para os que estão a minha volta, sendo dita como
loucura para os sábios e fraco para os fortes?
Sou um alvo de curiosidade e análise?
Minha propriedade, ela têm sido alvo de inspiração?
Que tipo de marca tenho deixado por onde passo? Que marcas tenho levado?
É tão normal se perder em tanta variedade de opiniões e conhecimento, é tão normal ser levado por fatos, E tão normal ser confundido.
 Não quero essa normalidade, quero a verdade, quero Cristo.
Eu não preciso discutir e me achar na obrigação de debater religiosidade. Eu não preciso concordar com tudo e todos, posso me silenciar e aguardar o momento de falar, e falar o que for preciso não o que for necessário. Nem sempre o necessário precisa ser dito, ele precisa ser vivido. Verdades que são somente ditas são esquecidas, atitudes verdadeiras são eternizadas.
Eu quero que aquEle que habita em mim transborde aos que estão a minha volta.
Não quero o reconhecimento que me leva ou sentimento mesquinho de uma "grandiosidade humana" ... Quero que reconheçam Cristo em mim, que a grandeza dEle exale, quero o Seu perfume, Quero cantar... E que minha canção seja Cristo... 
Que esqueçam meu nome, que esqueçam meus feitos, meu rosto... mas, que o Deus por qual vivo não seja esquecido.
Enquanto pesquisava sobre as aranhas aprendi mais uma coisa... Eles estão estudando o meio errado de compreender a complexidade de uma teia de aranha. Não será a aranha que irá ensinar como se faz a teia, isso é algo que nem a ela própria cabe compreender.
Só o criador pode ensinar sobre sua criação. A aranha é só um instrumento....
E eu também.



terça-feira, 24 de maio de 2011

ELE...igual...simples.


Acredito em um Cristo, que convence o homem do pecado com amor e não com agressão.
Sigo um Cristo, que mostra como deve se viver corretamente perante Deus com mansidão, não xingando ou berrando.
Sirvo um Cristo, que respeita as escolhas das pessoas mas não desiste delas, por amor.
Sou amiga de um Cristo, que para, observa, escuta antes de falar. (Mulher adúltera - João 8)
Ama, toca, acolhe, conhece antes de repreender. (Mulher samaritana - João 4)
Vivo um Cristo, que me ensina que não devo me conformar com este mundo, mas devo transformá-lo com o meu entendimento... Em toda a história eu só conheço uma atitude agressiva dEle (João 2:13-16) motivo? DESRESPEITO.... 
Respeite as pessoas, quem sabe elas lhe doam 
o tempo que Cristo precisa para transformá-las...Esse papel não é seu é do Espiríto Santo, então não se aborreça impondo verdades... Viva, tenha atitudes de Cristo...Ame.
(Baseado em discussões sobre os direitos dos LGBTT)

segunda-feira, 23 de maio de 2011


Poderíamos estar de calça e meias, vendo filmes, ouvindo boas músicas, comendo chocolate e de meia no chão da sala falando sobre nossos amores e desamores né?! (Naty)
A distância realmente não é motivo pra esquecer amigos, ou deixar de tê-los como tal...tivemos pouco tempo, mas tempo suficiente pra iniciar uma linda história!

Deus chegou perto...



Deus os encontrou perdidos no deserto...Chegou perto, cuidou deles e os protegeu como se fossem a menina dos seus olhos. Como a águia ensina os filhotes a voar e com as asas estendidas os pega quando estão caindo, assim o Senhor Deus cuida do Seu povo. (Deuterônomio 32:10b-11)


Houve uma época, que não saber qual era meu talento natural, meu dom, me preocupava, me tirava o sono. Afinal, me doar para Deus por inteiro já era o que queria fazer...
Observava as pessoas ao meu redor, repletas de criatividade e espontaneidade...e refletia: O que em mim desabrocha da mesma forma?...não enxergava.
A música me faz feliz em uma variedade de expressões...apreciar, cantar, ouvir...dançar...
Não tenho uma genialidade incomum, nem um ouvido genial...mas gostaria muito de ter nascido assim...e esse desejo é tão grande... que parece que Deus é que esqueceu de me dar essa facilidade...rs...como se isso fosse possível.
Sei que Ele não esqueceu absolutamente nada... Nasci assim da forma que Ele quis... e o cuidado dEle para comigo, Seu amor, Sua misericórdia é tão grande que Ele me satisfaz, me ensina...
     Ela mal sabia andar, mas já sabia o que era música. Já a reconhecia. Cantar era a unica forma da mãe aquietá-la nos cultos domésticos. Na igreja, o ouvido sabia a hora de parar de chorar quando alguém cantava. Os olhos, fixavam o marcar do compasso do regente. 
    Para o desespero da mãe amava dançar - família materna cristã tradicional - Essa criação já a fez dançar axé as escondidas com as amiguinhas da rua, a fez querer dançar em festas juninas na escola...(rs).
   Criou a tradição de todo ano no dia 7 de setembro ir pra rua e empurrar quem estivesse na sua frente para assistir as bailarinas lindamente se esticando, contorcendo e dançando nos desfiles escolares. Fazia parte dessa tradição também, voltar pra casa chorando pedindo pra estudar aquilo, pra dançar igual... Não pode.
  O tempo passou e ela cresceu, não muito na estatura. A dança começou a surgir na igreja e ela venceu as restrições de ser pequenininha e magrela...(rs)...e "melancolicamente" alcançou sua vaga no grupo de coreografia. Nele permaneceu por muito tempo... As coreografias eram simples, singelas, sem técnicas - não eram profissionais, nenhuma delas sequer fizera 1 aula de dança!!!! Mas seus corações eram sedentos por adorar a Deus... e levar o mundo a fazer o mesmo.
Ela nunca liderou, nunca se achou capaz pra tal função... não sabia dizer não, não sabia repreender... Aceitava, obedecia... não discutia.
Até que se viu em um lugar distante de tudo e todos... Ajudando a meninas a se encontrar, buscar conhecer Deus... E levá-las a viver esse relacionamento.
Aceitou o convite, largou tudo e foi... 
Chegando lá ensinou danças que um dia a ensinaram... Só que Deus a fez esquecer todas,
forçando-a a criar... ensinou-a também a liderar.
E assim ela segue sua vida... Aprendendo e lutando diariamente contra a própria vontade...ás vezes adiando seus próprios sonhos e sonhando os sonhos de Deus. Completamente dependente dEle... sonhando e vendo sonhos se realizarem... Construindo sua história.
(Não sei dançar balé, não entendo nada, nunca estudei... na semana santa fiz minha 1º oficina de dança, conheci bailarinos e vi que Deus me ensinou muita coisa, claro que não tenho técnica e flexibilidade corporal igual a deles, mas ouvi muita teoria que já praticava...no próximo ano farei aulas de dança para saber meus limites, respeitar os das meninas do CeA* e para ter melhor condicionamento físico. Para DEUS o melhor!)
*Ministério Corpo em Adoração.
                        
                                                                   Suellen Costa.          



domingo, 15 de maio de 2011

Quando o inesperado acontece...

        ...O tempo passa devagar, mas a sensação é de que está voando...
  Deus tem feito tanta coisa em mim e por mim. Viver debaixo da soberana vontade de Deus, sem impor condições, obedecendo-O mesmo quando a intervenção divina parece não fazer sentido (Efésios 5:17), que tarefa difícil!
  No último post falei resumidamente sobre mim. A minha 2ª viagem á Corumbá foi no ano passado, estive aqui por 6 meses, e foi quando Iniciamos um trabalho com meninas, em que através da dança podíamos estudar a palavra de Deus e adorar a Ele com essa arte.
  Durante esse período me preparei para o vestibular e planejei permanecer aqui até concluir a faculdade. No final de 2010 voltei pra casa no RJ, certa de que retornaria,
com a condição de passar no vestibular.
  Não fui convocada nas primeiras chamadas e por minha nota ter sido baixa, fiquei sem perspectiva de ser aprovada. Com toda ansiedade que há em mim que não é pouca... Rs... Decidi permanecer no RJ e investir nos meus estudos, então despedi-me dos amigos que aqui fiz, com muitas lágrimas e coração angustiado.
Apesar de tudo ao meu redor me convencer de que havia tomado a melhor decisão, sentia dentro de mim uma insegurança terrível.
  O Espírito Santo de Deus me incomodava diariamente... E em um momento de angustia e insatisfação pessoal profunda, clamei a Deus por uma provisão... Pedi que Ele parasse de falar e sussurrar a vontade Dele... E passasse a gritar... Porque eu não estava ouvindo. Coloquei diante dEle a vaga na faculdade, minha colocação era 75ª para 5 vagas, então falei com Deus que se estar em Corumbá era o que Ele queria pra mim, eu seria convocada.
No mesmo dia à noite recebi um email de um amigo me parabenizando pela aprovação na UFMS... Fiquei atônita em frente ao computador por alguns segundos... Minha colocação agora era a 2ª para 3 vagas... Não era o curso que sonhava, mas era uma porta para alcançar o sonho...
Desembarquei em Corumbá no dia 10/03 e precisava me apresentar na faculdade no dia 11/03 ás 08h30min da manhã. Com muito cuidado e atenção li o edital diversas vezes, separei e conferi a documentação.
  Durante a viagem de 30h senti algo me dizer que eu não iria ingressar na faculdade... Imediatamente repreendi aquele pensamento negativo...  Mas, fiquei mais uma vez insegura... Planejei então rever o edital. Quando cheguei no dia 10/03 á tarde, fui a um cyber, mas um temporal me impediu de chegar até lá... Convenci-me de que estava tudo certo e então no dia seguinte de manhã fui até a faculdade me matricular. Uma das coordenadoras me chamou e solicitou meus dados e documentos... Foi quando me dei conta da falta da certidão de quitação eleitoral... Assim sendo tive que ouvir o amargo... “... você está desclassificada.” Nada do que argumentei foi suficiente para reverter minha situação... fiz várias tentativas com a reitoria da faculdade durante semanas.
Já cansada daquela situação pedi que Deus colocasse um ponto final naquela história, seja qual fosse a vontade dEle. No dia seguinte o reitor da UFMS respondeu a minha solicitação com um “Não foi possível atender ao seu pedido”.
Foram dias difíceis, mas meu Deus é tão zeloso... Toda vez que eu me culpo, ou fico remoendo essa história, Ele me mostra de alguma forma que a falta de sentido que tudo isso faz pra mim... Pra Ele está tudo sob controle... conforme o planejado...

Não vive sem...

DEUS...
AmA...sua FAMÍLIA, Amigos novos e ANTIGOS...Fazer AMIGOS, Fotografia, MÚSICA, Culturas, VIAJAR, Observar, INOVAR, Ouvir, LER, Refletir, ARTE, CRIATIVIDADE, Surpresa, APRECIAR, lembrar e relembrar, SENTIR, Cativar, CANTAR, contar/ouvir uma NOVIDADE, Cultivar, Saborear, SORRIR, bom CHEIRO bom, GARGALHADA, Curtir a VIDA e as PESSOAS...VIVER!